•  AGORIA

Agoria (nome artístico de Sébastien Devaud, nascido em 16 de janeiro de 1976) é um produtor de música eletrônica, compositor e DJ nascido na França. Ele lançou quatro álbuns: “Blossom” (2003), “The Green Armchair” (2006), “Impermanence” (2011) e a trilha sonora do filme “Go Fast – No Coração do Tráfico”. Ele fundou a gravadora INFINE e o Festival Nuits Sonores, ambos intimamente ligados à cidade de Lyon. Ele também está envolvido com arte contemporânea ao lado do artista Philippe Parreno.

Sébastien Devaud, também conhecido como Agoria, entrou no mundo da música eletrônica em um momento peculiar. Ao contrário da primeira geração de produtores de techno, ele era muito jovem para ter ouvido ativamente o pop eletrônico do início dos anos 1980, de grupos como Depeche Mode ou New Order. Mas, ao contrário de DJs e músicos que nasceram antes dele, foi exposto a house e techno mais ou menos desde que esses gêneros surgiram com força.

Vivendo na França rural, Agoria ficou viciado em música eletrônica escutando, por exemplo, “Good Life”, clássico de Kevin Saunderson que era tocado na rádio local. Ele tinha somente 12 anos de idade, em 1988. Também estava tão impressionado com a batida do grupo norte-americano Inner City que passou muitas tardes lavando carros de seus vizinhos para ganhar dinheiro suficiente para comprar seu primeiro LP. Sua próxima revelação ocorreu alguns anos mais tarde, quando um dos primeiros sets que ele ouviu foi tocado por Jeff Mills nas proximidades da cidade de Lyon. “Foi a primeira vez que eu vi um DJ utilizando três plataformas giratórias e uma bateria eletrônica. Ele criou algo completamente novo em vez de simplesmente tocar discos. E a maneira como ele se movia, sua precisão e velocidade, realmente me impressionaram.”

Agoria começou de fato como DJ, mas rapidamente começou a organizar suas próprias festas com um amigos (o apelido de Séb Devaud veio nessa época, após nomear a festa de “Agora”, que significa “lugar de encontro” em grego antigo).

Ele começou a produzir e lançar suas próprias tracks em 1999 e seu primeiro reconhecimento internacional veio com uma série de LPs gravados pelo selo Pias em 2002, que foi seguida pelo aclamado álbum “Blossom”, um ano depois. Desde então, Agoria lançou mais três álbuns completos: “The Green Armchair” (2006), a trilha sonora do filme “Go Fast – No Coração do Tráfico” (2008) e “Impermanence” (2011), todos mostrando seu talento de criar faixas de techno profundas, despojadas e melódicas.

Além disso, Agoria compilou quatro discos de mixes que revelam sua capacidade única em emparelhar faixas de origens muito diferentes e mergulhá-las em formas criativas, às vezes até mesmo inspiradoras. Merecidamente, o site australiano Resident Advisor considerou sua contribuição para a série At The Controls, de 2007, um dos melhores CDs de mixes da década passada.

Além de seu próprio trabalho como DJ e produtor, Sébastien Devaud também fundou o Nuits Sonores, um dos melhores festivais da Europa, e o selo INFINE. Os lançamentos desse label –do piano de Francesco Tristano às produções sensuais de Danton Eeprom, passando pelos os arranjos dramáticos de Bachar Mar-Khalife– continuam a surpreender e fizeram da INFINE uma plataforma para a nova música que sempre desafia e excita seus ouvintes.

Agoria lançou vários EPs nos melhores selos de techno (Innervisions, Kompakt, Hotflush) e remixes para artistas como Moby e Metronomy, por exemplo.

Atualmente, está trabalhando em seu quinto álbum e experimentando outros espaços de arte: cinema com o diretor de cinema Jan Kounen (ele também toca todos os anos no Festival de Cannes), design de som com Nicolas Becker (da equipe Gravity & Phlippe Parreno) e arte contemporânea.




< Voltar