•  Akufen @ Mothership

1) Conte-nos sobre a primeira memória de música eletrônica, primeira influência e o momento crucial quando você decidiu dedicar se a música …
– A primeira chamada para a dedicação acho que surgiu com dez anos de idade. Quando eu era criança, eu já estava atraído por música, e logo expressei meu desejo de aprender instrumentos e tocar. Comecei a estudar violão e me envolvi com o piano quando eu tinha 12 anois de idade- até a ano quando completei quinze anos e descobri a música eletrônica. Os primeiros electrónicos que me chamaram atenção foram Devo e Tangerine dream, uma estranha combinação J Eu praticamente sempre sabia que queria trabalhar perto de música , como compositor, como parte de um grupo ou mesmo como um designer gráfico. Eu queria ser cercado com música de uma forma ou de outra.

2) Como o meio ambiente / cidade pode influenciar processo criativo? Cidades têm trilhas sonoras? Qual seria a trilha sonora de São Paulo em sua perspectiva?
– Eu acredito que cada individua tem uma trilha sonora de sua própria relação com cidade e memórias. A música não tem mesma sonoridade para uma pessoa quanto para a outra. Então, para estabelecer uma trilha sonora de uma cidade, seria como escolher a roupa para equipe. Do meu ponto de vista, eu diria que a minha trilha sonora ideal para São Paulo , e baseada no meu profundo amor pela música brasileira, seria Solitude -álbum maravilohoso de Baden Powell , na guitarra. Eu podia ouvi-lo na minha cabeça quando meu voo estava pousando em São Paulo. Música brasileira sempre toca direito no coração com sua mistura única de melancolia e esperança. Nos momentos ruins da vida- eu ouço vinil de Baden Powell ou Tom Jobim e me cura instantaneamente. Tanta beleza!

3) O que Akufen sido até recentemente? Ele está em BPM mais rápido ou o modo de BPM mais lento?
– Depende do humor e do tipo de música, mas raramente toco mais rápido que 125 bpm. Acho que estou ficando mais velho e mais lento ,neh! J
Tenho muito amor a música afro-americana, reggae, jazz, soul e funk, que são, na maior parte gêneros de música lenta e sensual. Eu, pessoalmente, como compositor , sempre estou favorecendo os ritmos mais lentos.

4) Amadores da sua musica sempre estão se perguntando sobre as fontes de seus samplers e tons surpreendentes-
eles são tão diferentes, contrastando, mas fluindo juntos. Da onde é que eles geralmente vêm e qual é a fonte de inspiração?
Minha criação vem a partir de múltiplas fontes. Eu, pessoalmente, gosto de usar os fontes como publicidade, filmes e televisão, as vezes rádio, mas radio não mais tanto quanto costumava.
Eu faço um monte de gravação de campo com o meu gravador digital portátil. Quando estou gravando, nunca vou usar partes óbvias, principalmente de música obscura. E, claro, um monte de minhas melodias faço com guitarra, teclados, baixo e clarinete, na Horror inc álbum por exemplo. É uma grande colagem.

5) Você já ouviu alguma música brasileira ultimamente? O que você tem ouvido ultimamente?
– Eu regularmente ouço música brasileira em casa, já que meu gênero favorito da música e swing jazz. Eu possuo grande colleçao dos vnils da música brasileira.
Fora disso, toneladas de jazz e clássica. Eu amo ouvoir Bach na parte da manhã e Scriabin à noite. Falando de Scriabin, compositores clássicos russos sempre ocupavam um lugar querido no meu coração.

6) O que significa Horoc.Inc para Akufen, eles são separáveis ​​ou eles são a unidade integral?
– Eles se conhecem. Às vezes eles trabalham separadamente e às vezes eles se unem. Mas eles tendem se encontrar cada vez mais com o tempo. Eu sei que pode soar esquizofrênico, mas Akufen e inc Horror. Os dois me habitam. Eles compartilham a mesma sensibilidade, mas com Horror inc eu me permito ser mais melancólico e sentimental. Horror inc é uma janela para a minha alma, enquanto Akufen é mais um playground onde eu estou sendo uma criança completa, descuidada e audaciosa. Mas ambos coabitam muito bem.




< Voltar