•  STEFAN GOLDMANN

Techno e house sempre foram um exercício de imaginar o futuro e sentir a emoção da mudança e da descoberta. Se alguém viveu essa aspiração nos últimos anos, ele é Stefan Goldmann. A cada novo lançamento ou projeto, ele trouxe uma novidade para a mesa, criando algumas das faixas mais memoráveis dos últimos anos. A batida suja de “The Maze”, a loucura melódica de “Sleepy Hollow” e os coros descentralizados de “Lunatic Fringe” foram responsáveis por injetar um novo fôlego em pistas de dança e mostraram novos caminhos para DJs e produtores.

O escopo do seu trabalho é vasto ele cria desde hits de techno underground a produções maiores de música em teatros, por exemplo. No entanto, no final, tudo o que faz, conta sempre com os principais recursos extraídos techno. Para ele, as nuances internas de uma faixa e alguns dispositivos por trás desse estilo podem ser extraídos e re-aplicados em contextos mais amplos –essas são as principais linhas de pensamento que ele tem seguido rigorosamente.

Depois de lançar para selos como Perlon, Classic, Ovum, Cocoon e Innervisions, Goldmann fundou o seu próprio label, o Macro, em 2007, juntamente com Finn Johannsen e logo criou grupos amigos de artistas, em vez de reunir somente seguidores em seu casting. Por exemplo, Macro tornou-se a casa de Elektro Guzzi, um grupo de proeminentes que criavam música techno em tempo real por meio de instrumentos ao vivo. Macro também lançou faixas de artistas com um histórico longo na música eletrônica, como Patrick Cowley, KiNK e Peter Kruder. Apresentar o trabalho de gente de diversas áreas dentro desse escopo da música em níveis de referência faz parte da bonita política de funcionamento da Macro. Ao vivo, essas constelações foram apresentadas em eventos em Berlim, Londres, Paris, Viena, Nova York, Tóquio e muitas outras cidades. Com a Macro, Stefan Goldmann criou um contexto e uma boa saída para seus objetivos que estão sempre em movimento.

Como um associado do emblemático clube alemão Berghain, de Berlim, Stefan Goldmann discoteca no local e já promoveu as noites no Elektroakustischer Salon, além de escrever uma coluna para no flyer com a programação do clube.




< Voltar